admin
22-07-18



Tribunal Distrital da Cidade de Nova Taipei, no Taiwan, recentemente aprovou um pedido de divórcio de um homem que alegou tortura psicológica devido aos hábitos de higiene precários de sua esposa, identificada apenas como Lin.

Segundo ele, Lin tomava apenas um banho por ano e ocasionalmente lavava os cabelos e escovava os dentes. As informações são da Oddity Central.


O requerente alegou que a higiene de Lin já era questionável desde o momento que namoravam, quando ela tomava banho apenas semanalmente. No entanto, seus hábitos de higiene decaíram quando eles se casaram. Os banhos semanais tornaram-se mensais, depois semestrais, até que ela começou a tomá-los apenas uma vez por ano.  


O homem, no entanto, decidiu que já não podia mais aguentar a situação, que também só permitia ao casal fazer sexo apenas uma vez por ano – quando Lin estava limpa. Isso impediu também que eles conseguissem ter filhos, apesar do desejo e os dez anos de casamento.

 

Enquanto trabalhava como segurança de prédio, a esposa pediu que o marido abandonasse o emprego por considerá-lo humilhante. A partir deste ponto, as dívidas de subsistência do casal passaram a ser pagas pela mãe de Lin. Nós estávamos pobres, pois nem um dos dois tinha emprego“, disse o homem, acrescentando que nem sequer conseguia pagar sua contribuição do Seguro Nacional de Saúde, o que o impedia de passar com um dentista.

 

No final de 2015, quando foi embora de casa e encontrou um emprego em Hsinchu, o homem foi surpreendido um mês depois pelo aparecimento de Lin, exigindo que ele voltasse para casa. Foi então que ele finalmente decidiu pedir o divórcio. Lin, por outro lado, que se opunha à separação, alegou que o marido estava mentindo e que seus pais sempre o haviam tratado como um filho. Ela disse que o visitou no novo emprego porque estava preocupada, uma vez que ele não atendia suas ligações.


Passados dois anos depois do pedido de divórcio, o tribunal apoiou as alegações do requerente, afirmando que o casal estava em desacordo com o trabalho, convivência familiar – incluindo higiene – e que, mesmo após uma separação de dois anos, era evidente que o casamento não estava funcionando.

 

Embora o juiz tenha concedido o divórcio, Lin ainda pode recorrer à decisão e defender o seu direito de tomar banho apenas uma vez por ano, alegando ser um hábito “natural”.  


In Jornal Ciência

Ação

Pub

Latest forum

Status

4583 views

107 ads

1696 users